Skip to Main Content

INTRODUÇÃO

Os ouriços-do-mar e as estrelas-do-mar pertencem ao filo Echinodermata. Com base no endoesqueleto e no desenvolvimento embriológico, acredita-se que os equinodermas e os cordados pertençam à mesma linha evolucionária de desenvolvimento. Por esse motivo, os embriologistas costumam utilizar os equinodermas como modelo de estudo. Como seu ânus é formado a partir do blastóporo e sua boca se desenvolve como uma abertura secundária, os equinodermas, assim como os cordados, são chamados de deuterostômios.

Os equinodermas são animais marinhos; suas larvas apresentam simetria bilateral, mas os adultos têm simetria radial. Eles apresentam celoma bem desenvolvido, sistema digestório completo, sistema circulatório pouco desenvolvido e não apresentam estruturas excretoras especializadas. Um sistema de canais, por meio dos quais circula água do mar, ramifica-se em numerosos e finos tubos pediculares (pés ambulacrais), que se estendem cheios de líquido e servem para locomoção e obtenção de alimento.

A importância do estudo do desenvolvimento do ouriço-do-mar está potencializada hoje porque um projeto de sequenciamento do genoma de Strongylocentrotus purpuratus vem sendo desenvolvido, e a regulação gênica que governa o desenvolvimento inicial está sendo elucidada com sucesso.

1. DESENVOLVIMENTO

1.1 Fecundação

A fecundação ocorre após o gameta feminino ter completado a meiose e liberado o segundo corpúsculo polar.

Os gametas femininos são colocados aos milhares, uma postura liberando 1 × 107 óvulos; a meiose já se encontra concluída. As fêmeas liberam, portanto, óvulos com os dois corpúsculos polares já emitidos. A fecundação ocorre em seguida. O processo de desprendimento dos gametas, tanto masculinos quanto femininos, pode ser estimulado artificialmente.

Os ovos de Paracentrotus lividus são postos envolvidos por uma camada gelatinosa que se dissolve em contato com a água do mar. São ovos oligolécitos com diâmetro em torno de 1/10 de mm. Nos ovos, já se nota uma polaridade animal-vegetal bem definida, que parece estar relacionada ao sítio de adesão do ovo no ovário. Em algumas espécies, a polaridade é marcada por um fino canal no polo animal, ao passo que em outras, a polaridade é manifestada já antes da fecundação, por uma pigmentação amarelo-alaranjada do ovo virgem concentrada em um anel subequatorial, deixando apenas uma calota despigmentada no polo vegetativo (para mais detalhes sobre a fecundação desse grupo, ver Capítulo 5).

O desenvolvimento inicial está intimamente ligado ao eixo animal-vegetal. A relação desse eixo e o desenvolvimento regulativo dos equinodermas é um dos tópicos do Capítulo 8.

1.2 Clivagem

O ovo de ouriço-do-mar apresenta clivagens totais por ser oligolécito. A quarta clivagem é característica por ser desigual na região vegetal e produzir quatro células muito pequenas, os micrômeros.

A segmentação dos ovos dos equinodermas é holoblástica. As duas primeiras clivagens são meridionais e formam ângulos retos entre si; a terceira é equatorial, produzindo quatro ...

Pop-up div Successfully Displayed

This div only appears when the trigger link is hovered over. Otherwise it is hidden from view.