Skip to Main Content

1. DEFINIÇÕES

O processo de envelhecimento é cada vez mais discutido hoje no mundo, principalmente devido ao rápido crescimento da população idosa nos últimos 20 anos.

Uma das possíveis maneiras de discutir o processo de envelhecimento é começar pela sua definição e, a partir daí, explicar como funciona esse processo. Portanto, é necessário que consideremos o problema em definir o fenômeno do envelhecimento de tal maneira que a ambiguidade do termo seja reduzida ao máximo.

O termo “envelhecimento” é um termo intuitivamente compreendido que costuma ser utilizado para descrever um processo complexo e multifatorial. Infelizmente, todas as tentativas de definir o que é envelhecimento são insatisfatórias em algum ponto. Parte do problema é que os termos e entidades envolvidos no processo de envelhecimento são eminentemente abstratos, dificultando a definição desse processo usando palavras de uso comum. Vários termos usados em um contexto científico, nesse caso, são interpretados a partir do seu senso comum, o que problematiza a compreensão acerca das definições de envelhecimento. Para evitar isso, ofereceremos definições explícitas e apontaremos as deficiências de cada termo utilizado.

1.1 Envelhecimento e senescência

Envelhecimento e senescência não são sinônimos.

Na linguagem comum, os termos envelhecimento e senescência são utilizados praticamente como sinônimos. O termo envelhecimento costuma ter o maior escopo de associações, incluindo a noção de maturação e desenvolvimento. Pessoas, carros e manteiga ficam velhos. No entanto, esse termo não está inevitavelmente ligado à ideia de deterioração: vinhos, conhaques e outras bebidas são considerados melhores à medida que envelhecem.

Em contraste, a palavra senescência é claramente associada à deterioração causada pela passagem do tempo, talvez porque o radical senex ou senis, que em latim quer dizer apenas “velho”, é comum ao termo senilidade, cheio de conotações emocionais negativas, sendo comumente usado em relação à debilidade e, especificamente, à deterioração mental, que pode acompanhar o envelhecimento. O termo “senil”, assim como o termo senescência, não é associado a nenhuma melhora trazida pela maturidade.

Portanto, ao longo deste capítulo, usaremos o termo envelhecimento, em vez de senescência, uma vez que o primeiro tem uma conotação mais ampla que o segundo.

1.2 Envelhecimento em gerontologia

O envelhecimento, na gerontologia, normalmente é definido em termos de probabilidade de morte.1

Os gerontologistas, em geral, definem o envelhecimento como um aumento na probabilidade de morrer, ou, contrariamente, como uma diminuição da probabilidade da sobrevivência de um indivíduo com a idade. Ou seja, essas definições têm como foco a morte1 e a deterioração que leva a ela.

O que essa definição deixa de fora é qualquer consideração explícita da função reprodutiva. O declínio e/ou perda da função reprodutiva com a idade, como ilustrado pela menopausa dos mamíferos, é quase tão comum quanto a diminuição da probabilidade de sobrevivência.

...

Pop-up div Successfully Displayed

This div only appears when the trigger link is hovered over. Otherwise it is hidden from view.