Skip to Main Content

INTRODUÇÃO

A principal tarefa do clínico consiste em tomar decisões ponderadas acerca do tratamento dos pacientes, com base na informação clínica disponível e nos desfechos clínicos estimados. Embora os dados extraídos a partir da história e da realização do exame físico possam ser suficientes para se estabelecer um diagnóstico e orientar a terapia, muitas vezes há necessidade de informações adicionais. Atualmente, os clínicos dependem cada vez mais de exames diagnósticos e enfrentam desafios ao selecionar quais testes serão solicitados e ao interpretar seus resultados. O objetivo deste capítulo é ajudar os clínicos a conhecerem as utilidades e as limitações dos exames diagnósticos no âmbito do diagnóstico e do manejo clínico.

BENEFÍCIOS, CUSTOS E RISCOS

Quando empregados corretamente, os exames diagnósticos podem ser bastante úteis ao clínico. Esses exames podem auxiliar no rastreamento (i.e., na identificação dos fatores de risco para o desenvolvimento de doenças e na detecção de doença oculta em indivíduos assintomáticos). A identificação dos fatores de risco pode possibilitar a adoção de intervenções iniciais para a prevenção da ocorrência da doença, enquanto a detecção precoce de uma doença oculta pode diminuir a morbidade e a mortalidade associadas à doença por meio do tratamento precoce. A medição da pressão arterial é recomendada para o tratamento preventivo de pacientes adultos assintomáticos de baixo risco. O rastreamento para detecção de câncer de mama, de colo uterino, de cólon e de pulmão também é recomendado, ao passo que o rastreamento para detecção de câncer de próstata ainda é controverso. O rastreamento sem benefícios demonstrados deve ser evitado. Os testes de rastreamento ideais devem atender aos critérios listados na Tabela 1–1. Alguns resultados de testes de rastreamento (p. ex., testes rápidos anti-HIV) requerem testes de confirmação.

TABELA 1–1.CRITÉRIOS PARA O USO DE PROCEDIMENTOS DE RASTREAMENTO

Os exames também podem ser úteis para se estabelecer o diagnóstico (i.e., ajudam a estabelecer ou excluir a existência de uma doença em indivíduos sintomáticos). Alguns exames são úteis para se estabelecer o diagnóstico inicial após a manifestação dos sinais e sintomas, enquanto outros auxiliam no desenvolvimento de um diagnóstico diferencial. Há ainda outros que ajudam a determinar o estágio ou a atividade da doença.

Os exames também podem ser usados no manejo do paciente. Podem ajudar a (1) avaliar a gravidade da doença, (2) estimar o prognóstico, (3) monitorar o curso da doença (progressão, estabilidade e resolução), (4) detectar a recorrência da doença e (5) selecionar fármacos ou ...

Pop-up div Successfully Displayed

This div only appears when the trigger link is hovered over. Otherwise it is hidden from view.