Skip to Main Content

ANAMNESE E EXAME FÍSICO PERTINENTES PARA DOENÇAS GINECOLÓGICAS

O diagnóstico e o tratamento precisos de doenças ginecológicas começam com a obtenção de uma história completa e de um exame físico. Um histórico abrangente deve incluir:

  • Primeiro dia do ciclo menstrual mais recente;

  • Sintomas atuais do trato genital;

  • Idade da primeira menstruação (menarca);

  • Intervalo desde o início de uma menstruação até a próxima (duração do ciclo);

  • Duração e quantidade do fluxo menstrual;

  • Presença ou ausência de sangramento irregular ou inexplicado;

  • Sintomas associados com cada ciclo menstrual, como cólicas antes ou durante a menstruação;

  • Outros sintomas do trato genital, como incontinência urinária ou fecal, prolapso, dispareunia, corrimento ou prurido;

  • História sexual, incluindo a avaliação de fatores de risco, como o conhecimento de práticas de sexo seguras, idade da primeira relação (coitarca), número e gênero dos parceiros e presença de qualquer histórico de abuso;

  • Número de gestações e subsequentes desfechos, incluindo parto a termo, via de parto, parto pré-termo, abortos espontâneos ou induzido;

  • Uso de contraceptivos, incluindo tipo e duração;

  • Histórico de doenças sexualmente transmissíveis, como infecção com papilomavírus humano (HPV), gonorreia ou clamídia;

  • Realização de rastreamento para câncer de colo uterino com exame de Papanicolau, incluindo a data do exame mais recente e qualquer histórico prévio de resultados anormais;

  • Histórico de qualquer cirurgia ginecológica, incluindo tipo, data e indicação;

  • Idade da menopausa;

  • Presença de sangramento na pós-menopausa independentemente da quantidade do fluxo;

  • Terapia hormonal de qualquer tipo, incluindo contraceptivos orais, terapia de reposição estrogênica na pós-menopausa, terapia hormonal para câncer de mama, etc.;

  • Histórico familiar de câncer em locais pertinentes, incluindo câncer de ovário, câncer de endométrio, câncer de mama e câncer colorretal. Determinar a idade no momento do diagnóstico de câncer e a relação da pessoa acometida com a paciente;

  • Determinar a etnia da paciente em relação ao potencial para doenças hereditárias.

Realizar um exame pélvico completo. Inspecionar a genitália externa incluindo vulva e uretra quanto ao desenvolvimento, simetria e lesões visíveis. Colocar um espéculo vaginal para inspecionar a vagina e o colo uterino quanto a simetria ou lesões visíveis e realizar exame de Papanicolau, culturas ou exames a fresco em lâmina conforme a indicação para avaliar sintomas ou atualizar o rastreamento. O exame bimanual é, então, realizado com a compressão cuidadosa das vísceras pélvicas entre a mão do examinador na parede abdominal e o(s) dedo(s) na vagina. O processo é repetido com o exame retovaginal onde um dedo é colocado na vagina e o outro é inserido no reto. O exame retovaginal permite que o examinador sinta mais alto na pelve e pode melhorar a capacidade de sentir ligamentos cardinais e uterossacrais, o fundo de saco peritoneal, ovários, retocele e integridade de esfíncteres. O exame retovaginal é particularmente importante para a avaliação de massas pélvicas ou doenças malignas, retocele e incontinência fecal.

EMBRIOLOGIA E ANATOMIA

O desenvolvimento do trato reprodutivo no feto feminino resulta da fusão e diferenciação ...

Pop-up div Successfully Displayed

This div only appears when the trigger link is hovered over. Otherwise it is hidden from view.